Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 18 de julho de 2010

Água!


 
Minho, Lima

 Poderia caminhar com o Lima a meu lado. 
A água em murmúrios secretos.




Açores, Terceira

Podia olhar esta enseada, ancorada...
Monte Brasil, à direita, casal selecto.



Açores, S. Miguel

 Podia ser safira ou esmeralda
 Perdida na lenda de uma grinalda.


   Açores, S. Miguel
   

 Podia ser dourada...




Atlântico
  

 Revoltada...
 Em mar alto, sobressalto!


Madeira
  

 De azul intenso!



Madeira


Podia ser cinza denso...



Grécia


Podia ser ...
Cintilante e puro
Este duro
 Calor imenso!



 Ana






10 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Adorei o teu poema. Excelente.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Nilson Barcelli disse...

Belas imagens, acompanhadas por belas palavras.
Gostei imenso.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Sofia Carvalho disse...

LINDO, Ana!
Deu-me a sensação que estava a ler um poema de Florbela Espanca!
Tu, as palavras e as imagens. Um trio perfeito!
Beijinhos querida!

ADRIANO NUNES disse...

Ana,

Lindo!


Abração,
Adriano Nunes.

s. disse...

Adorei a combinação das fotografias com o poema!
Beijinhos

Andradarte disse...

Sinto que já está em férias??
Poema muito agradável...
Beijo

Luma Rosa disse...

WoW!! Que belo Mar!! Belas imagens e poema!! Caprichou!! :=))) Fiquei só sentindo o cheiro dessas cores!!

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
A frescura das imagens aliada à beleza das palavras. Bela conjugação.
Ando a preparar a chegada da minha Sandra vinda da Terceira.Para a semana está cá.
Estamos todos a precisar de férias.
Beijinhos minha amiga e bom fim de semana.
Isabel

Ana Tapadas disse...

O trabalho e o calor sofocam-me e afastam-me. Não esqueço os amigos/visitas...
Sofia: negativo, não sou eu.
Gosto muito dela.
Beijos e obrigada pela paciência.

Gerana Damulakis disse...

Maravilhoso, querida Ana!