Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Poema infantil

Rob Gonsalves


Coração, porque tens frio?
Porque choras, coração?
Será que esse arrepio
É para ti consolação?
Quantas lágrimas não derramas,
Ó meu pobre coração?
Porque será que sempre clamas
Algo mais que compaixão?
Coração, criança inocente,
Não chores, brinca no rio,
Mas sem frio eternamente!
Não chores, brinca sem frio,
Mas repara na torrente
Que pode trazer teu Frio!


Ana, 15 de Julho de 1972 (14 anos)




19 comentários:

Lídia Borges disse...


Não é um poema infantil que nunca é infantil a poesia que nasce rente ao coração.

Gostei tanto!

Um beiji

JP disse...

Quando o coração tem frio, há que aquecê-lo.

Quando o coração chora, há que o consolar.

Beijinhos

Jorge disse...

Um belo poema para guardar dentro do coração. É assim o pulsar de um coração humano.
Abr
J

Baú Literário disse...

Olá minha nobre amiga.
Alegrou-me bastante a sua visita.
Estou retornando. Devagar. Recuperando, aos poucos, o tempo (quase) perdido.
Abraços com um carinhoso beijo no seu coração e que a Paz de DEUS esteja contigo, sempre.

Baú Literário disse...

Olá minha nobre amiga.
Alegrou-me bastante a sua visita.
Estou retornando. Devagar. Recuperando, aos poucos, o tempo (quase) perdido.
Abraços com um carinhoso beijo no seu coração e que a Paz de DEUS esteja contigo, sempre.

Baú Literário disse...

É minha amiga.
A sua poesia é de um coração infantil descrito num poema de gente grande.
Brilhante. Gostei muito!

São disse...

Neste momento, esse pobre coração teve estar em hipotermia...

Abraço grande, amiga


Em tempo: acho linda de morre a rua foto de cabeçalho

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Tudo lindo, lindo.
O Poema, a imagem escolhida e o "banner" absolutamente fabuloso.
Obrigada pelo cuidado. Já estou muito melhor, mas continuo sem sabor e olfacto. Como anda tudo "isto", nem sei se não é melhor assim.
Beijinhos e paz no teu fim de semana.
Isabel

Vítor Fernandes disse...

A veia poética começava a despontar. E já com uma enorme qualidade.

vieira calado disse...

8 anos é boa idade para começar.
Eu, infelizmente, só comecei aos 13...

Para si, as minhas saudações poéticas!

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Ana; belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Ana; belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Isa Lisboa disse...

"Porque tens frio, coração?"... Nunca é por ser Inverno...

Um bonito poema, a descrever as dores desse músculo, tão mais que músculo...!

Beijo

Baudolino disse...

Vi o seu comentário no blog 'Impulsos' e, aproveitando a sempre gratificante visita aqui, ocorreu-me que talvez se queira preparar os alunos para competições ditadas pelos nervosos e caprichosos 'mercados'... No dia em que nos entendermos nessa linguagem de mercados temperamentais, sobrará a literatura como reserva de humanidade, talvez.

Fê Blue bird disse...

Amiga Ana, com 14 anos já tinhas um
coração cheio de emoção e um talento nato para a poesia.

beijinho e boa semana

Olinda Melo disse...


Bem, querida amiga, o teu caderno de estudante, ou o teu diário, contém preciosidades. Este poema é lindo! E não é tão infantil como isso, mostra muito talento e preocupações bem concretas em relação aos valores da Vida.

Parabéns, mocinha. :)

Bjs

Olinda

P.S. As tabelas são para não me esquecer do rombo deste mês e do que por aí ainda virá. :))

Nilson Barcelli disse...

Agora percebo por que escreves tão bem.
Aos 14 anos, um poema destes é obra...
Um beijo, minha querida amiga.

Fa menor disse...

De infantil tem muito pouco ou nada...
Belo!

bjinhs

Mel de Carvalho disse...

minha querida Ana,

se algo de sadio existe no ser humano, esse algo é, indubitavelmente, a capacidade de reter as memórias e nelas o brilho genuino da infância.

um enorme obrigada por esta viagem partilhada a um tempo onde ainda tudo estava em aberto na construção dos sonhos e dos caminhos.

beijo e bfs
Mel