Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 25 de abril de 2017

Aos dezasseis anos...




Depois de quatro quilómetros de bicicleta, cerca de trinta de autocarro e de surpreendentes notícias no rádio da velhinha 300 dos Claras, lá chegámos a Abrantes. Ao  lado esquerdo da estação de camionagem estava a sede da P.I.D.E./D.G.S. ... No Liceu a vida vibrava, espelhada no Tejo! Foi ali que vivi o dia claro, bem no polígono militar e, não só...




4 comentários:

Majo Dutra disse...

Beijinhos aprilinos.
Grande abraço, Ana.
~~~~~~~~~

Edumanes disse...

Tendo ao povo gerado sofrimento,
não terá sido apenas uma aventura,
foi para o efeito criado o movimento
para, em Portugal, pôr fim à ditadura!

Tenha uma boa tarde amiga Ana,
sem ditadura, em liberdade
com a linda paisagem alentejana
saúde, paz, amor e felicidade!

Um beijo.

Manuel Veiga disse...

não deixemos que nos apaguem a memória desse "dia claro e limpo"...

beijo

Fernanda Maria disse...

Ana, eu tinha mais um ano e estava tão ausente de tudo.
Abril abriu-nos o olhar.

Um beijinho

O Toque do coração