Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 17 de maio de 2009

Onde irás?


Reed - Sea Breeze


Vento suave
Onde irás?
Secando, secando.
Vento tão grave,
Onde irás?
Troando, troando.
*
Decreto Suão
E os pesadelos irão...

Ana

8 comentários:

comboio turbulento disse...

Pois, o tempo no sul tão bom e aqui no norte tão frio banhado a chuva. Que inBeja!!

Janaina Amado disse...

Ana, estou de volta ao blog. MUITO BOM vir aqui e encontrar poema tão bonito, tão sugestivo. Depois volto pra ler mais. Beijo.

Cristina disse...

Poèma muito lindo.Para
mi, eu vou em Portugal...!
Beijinhos.

Sara disse...

É relaxante a imagem...
E é disso que preciso, o seu teste correu-me pessimamente!
Beijinhos

Bipede Implume disse...

Amiga, neste momento, agradecia muito um vento suão. Tem estado não digo frio, mas a temperatura á devia ser mais quentinha.
O teu poema é lindo.
Beijinhos.

Miguel Angel disse...

Serenidad, amor, paz.
Eso es lo que leo en tu poema.
Te recomiendo este link:
http://sololiteratura.com/ben/benedettiprincipal.htm

Besos.

Cristina disse...

Hoje è um dia de férias em Belgica!
Bom fim de semana, até brève.Bisous!

Dédalus disse...

Quando leio o poema sento que o vento me leva e me mece... Tanto faz que se transladar no espaço e no tempo, a um lugar sonhado.

Beijos, Ana.