Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Tributo a Malangatana





1936 - 5/01/ 2011



A Coruja

A coruja agoira-me
e diz-me que nunca chegarei
além onde o desejo me leva
e assim evapora-se o sonho;


O tambor foi tocado
na noite densa do feitiço
enquanto Kokwana* Muhlonga
apitava o Kulungwana* mortal;


Na noite sem estrelas
dois gatos pretos iluminaram a cabana da Kokwana Hehlise
que morreu depois dos gatos terem miado.

Eu lutando comigo só
é impossível vencer as ondas
que feiticeiramente me esboçam
as corujas, gatos e tambores.

Poema de Malangatana



Vivências

10 comentários:

JPD disse...

Não sabia que o Malangatana tinha editado o livro de poemas.
Escapou-me.
Fizeste bem em editar este pooema: tão simples e tão puro.

Dizem que o Artista era muito afável no trato.
Acredito.
Havia imensa bonomia no seu olhar, na sua postura.

Ter sido professora do J L Peixoto é um privilégio exaltante.
Acabei de ler o «LIVRO»
É extraordinário.
Tanto que o li numa semana, vê bem.
Recomendo vivamente.

Da sua prosa publicada até agora, falta-me ler «CAL» e «CEMITÉRIO DE PIANOS»
Poesia ainda não li nada.

Bjs, Ana

JPD disse...

Seria uma perda apreciável para todos nós se fechasses o teu blogue.
Tem qualidade;
É rigoroso;
Depurado graficamente.
Se te dá tanto prazer cumprir os preceitos anteriores então apenas te faltará manter vivo este espaço.

Beijinho

SKIZO disse...

Fabuloso

LUNA disse...

Näo conheço a obra nem o artista, mas sim gostei do que vi.
Obrigado por mostra-lo querida amiga.
É meu presente de los Reyes Magos.....

Um beijinho

Fê-blue bird disse...

Minha amiga:
Também não sabia que o Malangatana escrevia poesia. Muita bonita a sua homenagem.

Beijinhos

Wilson Torres Nanini disse...

Todo feitiço, sortilégio de uma poesia a que não se pode resistir.

Abraço!

Ricardo Miñana disse...

Muchas felicidades para este año, dale vida a tus sueños y que la crisis económica pase de largo.

¡¡Feliz año 2011!!

Un abrazo.

Andradarte disse...

Absorvido pela arte forte de cores quentes e azuis fortes de Malangatana, deixei que me passassem ao lado, os
seus poemas...Pecados...
Beijo

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Quando estive em Moçambique, já ele era conhecido mas tive amigos que lhe compraram quadros ainda por vinte escudos.
Também tenho medo de voar de avião...porque de helicóptero, gosto.
Beijinhos e bom fim de semana
Isabel

Vieira Calado disse...

Bem merecida homenagem!

Gosto muito do que ele fez.

Bom fim de semana.

Bjs