Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

A Poesia...


Olbinski


Estava a meu lado febril e perturbada,
Correndo e resvalando nas palavras!
Andava à procura da Verdade desejada,
Fazendo eco ao gesto que cantavas!

A poesia queria tornar-se poema
Na ruga da tua face cansada,
Mas sempre achaste a tua pena
Uma verdade fútil e inconfessada!

Ana



Obrigada, amiga Antonia Tenea.

4 comentários:

Flor ♥ disse...

Querida Aninha,

deixo-te um beijo por essa busca da poesia... hoje encontrei-a aqui!

Beijinho.

Gerana Damulakis disse...

Consciência total da poesia. Parabéns!

veredit disse...

Ich muss unbedingt Portugiesich lernen, damit ich Deine Gedichte noch besser verstehen kann. So fühle ich ihren Sinn und er spricht mich tief an und gefällt mir über alle Maßen gut.

beijo

EternaApaixonada disse...

Minha amiga poetisa querida!
Que tenhas sempre esse olhar puro e lindo da vida!
Beijos