Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 25 de março de 2010

Chave de Ouro

Edward Robert Hughes


Eu tinha uma chave de ouro
Que um dia no lago perdi,
Mas de guarda ao meu tesouro
Estava um peixe que conheci.
Nas águas escuras do lago
Minha chave ainda brilha
E o peixe, sem ser pago,
Guarda aquela maravilha.
Eis que, um dia...
A chave quer vir ao cimo,
Mas o lago se esvazia!
Guardo o peixe que estimo.
E a minha chave de ouro
O coração me abriu.
Guardo nele o tesouro
Que nunca mais me fugiu.

Ana

16 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Ana
Que ternura de poema, muito lindo.

beijinhos
Sonhadora

Gerana Damulakis disse...

Que versos mais lindos, Ana. Creio que meus olhos devem ter brilhado durante a leitura. Lindo, lindo, lindo poema.

Andradarte disse...

Singelo....Intencional...
Será??
Beijo

disse...

O poema é lindo, o quadro é lindo !
Aliás ainda não parei de ler o
poema. Lembra - me os contos de fadas !

rita disse...

C'est joli :)
Beijinho

Luma Rosa disse...

Confiar a alguém a chave do seu coração é desenvolver uma sólida confiança em si mesma. Bom fim de semana! Beijus,

Denise disse...

Tanta saudades que tenho d alguns que as vezes volto .
Tinha q vir visita-la,já que as saudades são ,MUITAS

carinho

Teresa disse...

Não precisei de uma chave de ouro para entrar aqui, mas gostei de te reencontrar na net.
Bjs (extensivos ao marido e ao filho)

Sofia Carvalho disse...

Lindo o poema, Ana, vheio de sensibilidade... Beijinhos

Fernando Campanella disse...

Muito bonito isto, Ana, colocar o tesouro na ligação com o estado natural, e transpô-lo para o coração. Viemos das águas, o coração flui como elas.
Grande abraço.

Nydia Bonetti disse...

Parece um conto de fadas, Ana. Lindo. Beijo, boa semana!

Georgia disse...

Lindo Ana. Me pareceu estar lendo uma estorinha infantil com final feliz.

Boa semana

Um beijao

Nilson Barcelli disse...

Ana, minha amiga, o teu poema é tão bonito... gostei imenso.
Tem uma óptima semana e boa Páscoa.
Beijos.

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Que lindo, muito lindo mesmo.
Gosto destes poemas serenos, mas que expressam uma grande emoção.
Este fim de semana eu e o Platero andámos a pôr o nosso jardim em ordem e a arranjar as sebes que ficaram um pouco estragadas com os temporais. Ficámos de rastos. E ainda nos falta muito.
Beijinhos e boa semana.
Isabel

LUNA disse...

Lembra-me como se fosse uma letra de cançäo de meninas brincando numa roda, pegadas da mäo...
Fas-me recordar os meus tempos da infança....
Beijinhos

Antoniatenea disse...

Me encantan tus palabras...me fascina la imagen.
Eres profesora de literatura o de qué asignatura?
Besos!