Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Emir



Palácio Bayan, sede do governo do Kuwait (wiki)




Extintos que estão os feriados de 1 de Dezembro (Restauração da Independência, 1640) e de 5 de Outubro (Implantação da República, 1910), começamos a confirmar a extrema penúria e displicência cultural de alguns dos nossos concidadãos.
Aqui partilho um exemplo do que afirmo:



República do Kuwait? Mas, o Kuwait não é uma República!  

Seria pedir demasiado a que as eminentes figuras da nação e os respectivos assessores se dessem, pelo menos, ao trabalho de consultar um qualquer recurso on-line (http://pt.wikipedia.org/wiki/Kuwait)?


"Nem só de pão vive o homem" (Mt 4,4)

Perigoso é o caminho da ignorância. O fim da memória histórica sinaliza esse caminho.


Ana





5 comentários:

São disse...

Cegos que conduzem cegos!!

Que triste caminho o nosso...

Bons sonhos, ANA

Andradarte disse...

O trabalho em primeiro lugar....As amizades são para durar acima de tudo..
Beijo

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Nós até que já andávamos desconfiados...
Está provado que a ignorância é o pior de todos os males.
Certeiro este post. Adorei.
Beijinhos e cuidado com o frio.
Isabel

AC disse...

É tão óbvio que...
(É sempre gratificante ver alguém a pugnar pela dignidade das coisas)

Bj

Olinda Melo disse...

Certeiro este post!

Quo vadis, Lusitania?

Parabéns, querida Ana, sempre atenta.

:)

Beijo

Olinda