Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Vai!

Umberto Boccioni, The Street Enters The House

Estende os braços e vai!
Sai da prisão estática...
Olha o apelo lançado
Sobre as asas do vento
E sai...
E vai!
Grita silêncios,
Deixa a descoberto a tua táctica.
São os homens por quem gritas
E os deuses a que blasfemas!
E sai...
Vai!
Há sorrisos perseguindo crianças
Imersas em adultas esperanças.
Olha o ser existencial que clama!
Homem total
E perfeito
E puro...
Homem desconstrutor de cada muro.
Homem retrógrado em cada falsidade,
Corre ao sabor do puro caminhar
E sai...
De dentro de ti.
E vai...
Outro te espera!
Estende os braços e vai,
Sai de ti e abraça
E sofre
E canta
Cada voz alheia,
Donde há tanto te alheaste.

Ana

4 comentários:

comboio turbulento disse...

palavras mestres bem acompanhadas ao pincel por Boccioni.
well done:)

Andradarte disse...

Fiquei um pouco aturdido com
os seus versos.Difíceis de interpretar...será amargura.
Desculpe
Beijo

Bipede Implume disse...

É um apelo tão intenso que dá mesmo vontade de o seguir.
É lindo este poema.
Beijinhos e boa semana, amiga.
Isabel

Flor ♥ disse...

Aninha,

Venho agradecer teu carinho no Interlúdio durante minha ausência. Estou de volta e feliz de encontrar por aqui tão lindos versos, que nos motivam a abrir as asas e soltar as amarras!

Uma semana especial prá ti, querida... e beijos do Brasil´!