Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 30 de abril de 2013

Como aprendi.



Florença, 2009 - José Alves
Desço serena a Via Guido Monaco, procuro o número doze, ali durmo quando estou. Há doze minutos deixei para trás a Duomo. Estou em Florença, como estou no descampado - maravilho-me a cada olhar e nunca me desoriento, como se aqui vivesse desde sempre. Sossegado, o Arno segue o seu rumo...conheço cada recanto desta cidade e habitei na harmonia de cada palácio periférico. Da Sinagoga aos museus e à azáfama das infindáveis praças...O Arno segue o seu rumo como o fio da minha recordação. Reconheço os cheiros e as vozes, guardo-os para sempre no meu íntimo património. Cada vez que aqui estou, repito o primeiro espanto da primeira chegada juvenil.

Florença, 2009 - José Alves
Nada me digas que a realidade atordoa. Só viajo com as armas que ainda tenho, no processo recorrente da fuga.  Aqui, agora, sonhos fugidios escapam-se para um futuro incerto. O avejão  sobrevoa a hora por vir e não há nevoeiro que se afigure no Verão que se adivinha.
Florença, 2009 - José Alves
Não me digas nada que hoje,  neste presente com grades e pesadelos, soam vozes lusas cacofónicas. É Primavera e tenho frio. Ah, vozes lusas! Com a certeza com que se afirmam asneiras se veste a ignorância.

Como aprendi na distante Florença, quero acreditar que o Homem ainda é a medida de todas as coisas...


Ana


8 comentários:

São disse...

Estive em Florença há mais de trinta anos e ainda tenho esperança de regressar.

Que sim, que o ser humano seja sempre a medida de todas as coisas, Ana!

Abraço grande

Isa Lisboa disse...

Gostava de conhecer Florença e depois deste relato, mais ainda :)

Beijo e bom feriado, Ana

Isa Lisboa
=> Instantâneos a preto e branco
=> Os dias em que olho o Mundo
=> Pense fora da caixa

Margarida disse...

Maravilhoso, querida professora! Um dia hei-de ir a Florença também :)

Beijinhos grandes,
Sara

Nilson Barcelli disse...

Em Florença, apetece ficar.
Tive sensações parecidas com as tuas quando lá estive há uns anos, mas não as saberia transmitir com o teu talento.
Fizeste-me sonhar (fui lá enquanto te lia...). Obrigado.
Um beijo e um bom resto de semana, querida amiga Ana.

Fê Blue bird disse...

Florença a cidade dos sonhos e dos ideais.
Gostava muito de a conhecer, quem sabe um dia.

beijinho amiga Ana

Jorge disse...

Gostei de olhar Florença através do seu olhar.
Bjs
J

heretico disse...

que inveja! rss

Petrus Monte Real disse...

Ana,

'Firenze'
há anos
nela passei dois ou três dias.
Recordo a catedral em pedra mármore, as cúpulas,
as artes, os ofícios, a cultura,
o "David" do Miguel Ângelo...
a tradição!
Conquista-nos de imediato!
Nela nos sentimos como se estivéssemos em família!
Fizeste-nos reviver!
Muito grato
Bjs