Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Vila ou caminho?

The Voyage of Life, Thomas Cole

Às vezes este torpor,
Misto de sol e de calor,
Faz dos meus olhos tal vulcão
Que vejo as estruturas como bolas de sabão.

Máquina! O homem ao volante,
Domador preso em suas cadeias.
Talvez no seu sonho errante
Haja um pensamento em teias!

A vila agita-se, frenética, díspar.
Há um som de vozes e de motores!
Vou deixar de rimar...
É tal a diversidade de sentires e de cores!

Um caminhar egoísta,
Um agitar constante...
Ir, ir...mas aonde?
Oh, não! Parai! Parai!
Um homem caminha...
Pedaço de ser, mastigando,
Olha como se a cabeça
Fosse diabólica campainha...
Como se esperasse
Um estranho e relevante ataque!

Num stress mal disfarçado
A senhora de bem caminha...
Os cabelos pintados de fresco,
eriçados e orgulhosos,
O seu rosto natural já indefinido
Entre o ridículo e o mascarado.

Uma mulher, para a janela, caminha...
Bate o tapete, espera.
Lança os olhos para longe.
Para onde vai ela,
No seu ar de monge?

Um velhote a pedalar, caminha...
As pernas bambas,
Trémulo, onde irá?

Um grupo de desocupados, caminha....
Agita nas mãos um jornal!

Meninas da escola, caminham...
Nos braços livros, ao ombro uma sacola.

Pausa.

Os papéis desprezados;
O vento irado que os açoita;
Panfletos descolados;
Tudo o que se afoita
Caminha!

Vila ou caminho?
Caminho para onde?

Um casal, ainda, caminha...
Ela débil, ele gesticulando.
Neste caminho, caminhando,
São eles que sorrindo e amando,
Me fazem pôr um pouco de poesia
Neste mundo em que caminham,
Quem sabe? Se desencaminhando
Trapos de uma vida...
Da Vida, tão esquecida!

Ana

10 comentários:

JP disse...

Um pouco de poesia neste mundo que caminham? Sempre é preciso. A vida é uma curta caminhada...nasce em flor.


Beijinho

São disse...

Toda a gente caminha, porque é para isso que vimos à Terra, para avançar...


beijinhos fraternos, ma belle

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Belíssimo retrato de um ciclo, em poesia...

beijinho amigo

Nilson Barcelli disse...

E como tu mostras poesia ao mundo que te lê...
Tu sabes cantar a vida como poucos.
Excelente, minha amiga. Gostei imenso.
Beijo.

Fê blue bird disse...

Um caminhar sem destino minha amiga.
Também o percorro e o sinto.

beijinho


heretico disse...

belo "respirar" do quotidiano - que de tão banal se faz poema!

belíssimo

(António Nobre passou por aqui? - não desdenharia, certamente...)

beijo

Jorge disse...

Olá Ana!
Recebemos estímulos diferentes nas caminhadas desta vida.
Caminhar, com regularidade, estimula o nosso lado criativo e ajuda o nosso organismo, proporcionando-lhe bem estar.
É importante não sermos repetitivos nesta caminhada da vida.
Um abraço,
Jorge

Luma Rosa disse...

Oi, Ana!
Esse eterno caminhar que não sabemos onde dará, mas vamos caminhando mesmo assim e, de preferência que seja acompanhada de muita poesia!
Beijus,

Bípede Implume disse...

Querida Aninha

Como diz o Sérgio Godinho:

"É a vida.
E o que é que se há de fazer?
Viver!"
Como cada um sabe e pode e...nos deixam.
Beijinhos e desejo de um fim de semana menos frio.
Isabel

AC disse...

Olhar circundante, paisagens humanas, barómetro dum colectivo sentir...
Que fizeram da esperança?

Beijo :)