Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 2 de maio de 2021

Gera

 

Gustav Klimt


Sussurram os poetas

inquietos, libertos...

Murmuram os profetas

serenos, ascetas...


O Amor tão puro

cerzido de hinos!

O Amor tão puro

de sermos meninos!


O colo, o seio, o calor

Murmuram os profetas.

O ventre, o regaço, o Amor

Sussurram os poetas...


Ana


domingo, 25 de abril de 2021

Com Fúria e Raiva

 

                                                           

Fonte: https://www.abrilabril.pt

                                                   

Com fúria e raiva acuso o demagogo                                            

E o seu capitalismo das palavras

 

Pois é preciso saber que a palavra é sagrada

Que de longe muito longe um povo a trouxe

E nela pôs sua alma confiada

 

De longe muito longe desde o início

O homem soube de si pela palavra

E nomeou a pedra a flor a água

E tudo emergiu porque ele disse

 

Com fúria e raiva acuso o demagogo

Que se promove à sombra da palavra

E da palavra faz poder e jogo

E transforma as palavras em moeda

Como se fez com o trigo e com a terra


1977. Sophia de Mello Breyner Andresen, O Nome das Coisas,

Moraes Editores

domingo, 18 de abril de 2021

Presencial

 


Médio Oriente, José Alves - 2019



« Queria ter a profundidade dos peixes

E a liberdade dos homens»,

 Daniel Faria, O livro do Joaquim, ed. Quási, pág.71


Em qualquer situação o olhar paira sobre as flores, nelas nos detemos para continuar a jornada, elas nos incentivam a caminhada sobre um tempo dividido, sob um Sol abrasador. Há um vento de que não localizo a origem: bafo incendiado do deserto ou sopro indeterminado de um mar sempre próximo?

A memória é o espaço que habito. Páginas que se avolumam e respiram a temeridade dos dias. A sensação de que em qualquer lugar é o meu lugar. Uma empatia serena por cada ser...o meu território íntimo não é uma terra disputada ou talvez no meu sangue corra a diáspora.


(Cá de casa)


Amanhã, o amanhecer será mais suave. Regresso emotivo ao espaço dos sonhos futuros que lerei em cada olhar. E, alguns, a isto chamam trabalho dos dias. Não! São pontes para o Futuro...


Ana


domingo, 4 de abril de 2021

O lugar onde sempre estamos certos


Jerusalém, 2019 (José Alves)

Do lugar onde sempre estamos certos

nunca brotarão

flores na primavera.

 

O lugar onde sempre estamos certos

é batido e duro

como um pátio.

 

Mas dúvidas e amores

esfarelam o mundo

como uma toupeira, um arado.

 

E um murmúrio será ouvido no lugar

onde havia uma casa —

destruída.

 

Yehuda Amichai, Terra e paz – antologia poética, tradução Moacir Amâncio

Original:



domingo, 28 de março de 2021

Ágil

 

Blanca Alvarez

A palavra ágil dobra-se
recobra o alento
esgueira-se
saltita na rua estreita
e dança.

A palavra tão doce
abraça e ilumina
frágil no vento
estreita-se
e fulmina!

Ana