Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 28 de abril de 2019

Estranhas coincidências - Rafael Alberti



Google


Rafael Alberti, poeta espanhol do grupo dos 27, regressou do exílio a 28 de Abril de 1977. Foi ele o autor do belíssimo poema que o grupo musical «Aguaviva» nos tornou familiar. 

Hoje a Espanha é uma ideia abstracta e um futuro, sempre, no fio da navalha.
Convém recordar...





Balada para los Poetas Andaluces de Hoy
                               (Rafael Alberti)

¿Qué cantan los poetas andaluces de ahora?
¿Qué miran los poetas andaluces de ahora?
¿Qué sienten los poetas andaluces de ahora?

Cantan con voz de hombre, ¿pero dónde los hombres?
con ojos de hombre miran, ¿pero dónde los hombres?
con pecho de hombre sienten, ¿pero dónde los hombres?

Cantan, y cuando cantan parece que están solos.
Miran, y cuando miran parece que están solos.
Sienten, y cuando sienten parecen que están solos.

¿Es que ya Andalucía se ha quedado sin nadie?
¿Es que acaso en los montes andaluces no hay nadie?
¿Que en los mares y campos andaluces no hay nadie?

¿No habrá ya quien responda a la voz del poeta?
¿Quién mire al corazón sin muros del poeta?
¿Tantas cosas han muerto que no hay más que el poeta?

Cantad alto. Oiréis que oyen otros oídos.
Mirad alto. Veréis que miran otros ojos.
Latid alto. Sabréis que palpita otra sangre.

No es más hondo el poeta en su oscuro subsuelo.
encerrado. Su canto asciende a más profundo
cuando, abierto en el aire, ya es de todos los hombres


Música: Manolo Diaz - Aguaviva





A memória é um lugar necessário! 


13 comentários:

Rogério G.V. Pereira disse...

¿Qué cantan los poetas andaluces de ahora?
Qué cantan?
Qué cantan?

...dónde los hombres?

Victor Barão disse...

Curiosa e esperemos que não tristemente irónica coincidência!
O próprio Mundo ou a sociedade humana global, parece-me ser crescentemente um lugar "estranho" em si mesmo/a, de cuja Espanha está "coincidentemente" a ser ou a torne-se, apenas, um exemplo mais agudo!
Que venham melhores dias e que jamais falte excelente poesia e respectiva/os poetas.
Beijos, com votos de excelente semana
VB

Larissa Santos disse...

Muito interessante esta publicação :))

Hoje :-Silencia-me nas palavras que te escrevo

Bjos
Votos de uma óptima Segunda - Feira.

Graça Pires disse...

O Poeta Rafael Alberti, com este maravilhoso poema, lembra-nos, agora, que a Espanha tem, como dizes, "o futuro no fio da navalha". Só desejo que se consiga superar este incerto momento…
Uma boa semana.
Um beijo.

Edumanes disse...

O futuro é o dia de hoje. Amanhã será outro dia. Tudo o que começa acaba. Até lá haja saúde e alegria. Com governos de minoria, porque as maiorias são alérgicas ao bom funcionamento da democracia!!!

Tenha um bom dia amiga Ana. Bjs.

Majo Dutra disse...

Apesar da moderação verificada, tudo parece muito instável...
Há demasiadas forças -- algumas muitas obscuras -- tentando minar a harmonia e sucesso.
Na minha opinião, a independência das regiões autónomas é uma questão de tempo, o que terá repercussões enormes em toda a Europa.
Comove-me pensar como os galegos querem ser portugueses... facto que foi reafirmado no governo de Jorge Sampaio.
Tudo bom, Ana
Beijinhos
~~~~

CÉU disse...

Já conhecia este belo e significativo poema de Rafael Alberti.
A Espanha parece-me uma manta de retalhos, mas, apesar dos pesares, os espanhóis lá se vão equilibrando.

Beijos e boa semana.

Olinda Melo disse...


Querida Ana

Tenho um fascínio enorme por este poema e pelo modo apaixonante
como é interpretado.

Bj

Olinda
P.S. Poderias contactar-me para: olinda.melo.12@gmail.com ?

Jaime Portela disse...

A Espanha é um conjunto de nações, não há volta a dar.
Resta saber se é melhor para todos que se mantenham unidas ou não (eu não sei... mas, um dia, o povo vai ter que saber...).
O poema do Rafael Alberti é magnífico (conhecia a canção, mas nem sabia que a letra era do poeta).
Ana, um bom fim de semana.
Beijo.

Manuel Veiga disse...

não deixemos que nos apaguem a memória

gosto do Poeta, da música, dos cantores
gosto da Espanha plural

beijo

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

Queridos leitores,
convidamos-vos a ler o capítulo final do nosso conto escrito a várias mãos "Ecos de Mentes".
https://contospartilhados.blogspot.com/2019/05/ecos-de-mentes-capitulo-14-final.html

Bem hajam por todo o vosso acompanhamento e comentários.
Saudações literárias!

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Sou a favor da Espanha única. Todo país que se divide, enfraquece e restam sempre sentimentos de ira. Abraço fraterno! Laerte.

rosa-branca disse...

Recordar é preciso. Com tantas divisões mesmo assim eles vão se equilibrando. Beijinhos