Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 20 de junho de 2021

Houve...

 

Ana, 2021


Houve nascentes e poentes. Dias arrebatados pela friagem e calores sufocantes na estiagem dos dias. Morreram conhecidos, o Alzheimer esvaziou o olhar de familiar muito próxima, zarpei ao Minho, subi a Zurique e perdi-me de Amor pela minha neta Madalena. 
Esgotei os dias no trabalho. Confinei alunos sucessivamente...«Zoomei» quase diariamente e em intermináveis reuniões esqueci-me deste Sul sereno onde o arrebol sempre desenha os sonhos dos homens.
Houve inícios e fins. Afoguei-me no espanto da insensatez humana.
Agora, regresso, tentando pôr freio nos dias.

Ana


19 comentários:

chica disse...

Ana, tanto aconteceu e imagino quanto curtiste a Madalena. Coisa bem boa! E bom te ver de volta! beijos, chica

Rogério G.V. Pereira disse...

Por tudo isso
como é sabido
passei eu também
só não zarpei ao Minho
não subi a Zurique
nem estive em Madalena
(e tenho pena)
andei por tudo o que é lado
pois não me dou parado
Quanto a frear o tempo
nem nisso penso
pois tenho o meu próprio ritmo
(e por isso rimo)

Maria João Brito de Sousa disse...

UM TEXTO BELO E COM O SEU QUÊ DE PUNGENTE, POIS CREIO QUE A CRUEZA DOS DIAS CONTINUARÁ A FREÁ-LA A SI, ANA.

A SI E A TODOS NÓS.

CONFIEMOS, NO ENTANTO. CONFIEMOS SOBRETUDO NO NOSSO PRÓPRIO BOM-SENSO.

UM BEIJO

Graça Pires disse...

Põe freio nos dias, mas deixa passar o tempo. Sem pressa. A mimar a tua Madalena. A mimares-te a ti... Cuida-te bem.
Uma boa semana.
Um beijo.

A.S. disse...

Como diz a Graça Pires, deixar passar o tempo pode ser sensato!

Uma boa semana. Cuide-se bem.
Bjs

J.P. Alexander disse...

Hay que disfrutar del paso de tiempo. Te mando un beso

Fê blue bird disse...

Que bom este teu regresso amigo Ana,
Vou focar-me na tua perdição de amor pela linda Madalena, e desejar-te de coração, dias mais serenos.

Grande beijinho

Victoria disse...

Cool post! I like your blog. I follow you. Please foollow me back: beauty4fem.blogspot.com Glad to meet you, Victoria

Ulisses de Carvalho disse...

porque existir é transmutar! um beijo, Ana.

Mar Arável disse...

Bom regresso poeta

Tanza Erlambang disse...

love to read your text...

have a wonderful summer

Jaime Portela disse...

A vida de um professor nunca é fácil. E com a pandemia ainda piorou. Dei apoio aos meus netos nas aulas online (pré-primária e básico, 5 e 8 anos) e percebi o desgaste dos professores.
Tenho uma neta que também é a minha perdição.
Mas não percebo como entraste no Minho sem a minha autorização...
Bom fim de semana, amiga Ana.
Beijo.

Janita disse...

A vida, por vezes, apanha-nos no turbilhão dos dias demasiado preenchidos, a tal ponto, que nos esquecemos quem somos e ao que viemos...Um pouco de quietude, Ana, e tudo tomará o seu lugar. E acredito que haverá lugar para tudo o que é importante para si.
Este Sul Sereno, aguarda pacientemente, e nós, com ele.


Um forte abraço de muita admiração.

Elvira Carvalho disse...

A vida é uma sucessão de inícios e fins, de alegrias e tristezas de sonhos e pesadelos. E nós passamos os dias como surfistas tentando equilibrar-se em cima das ondas.
Abraço, saúde e bom fim de semana

Lúcia Soares disse...

Boa noite amiga 💕

© Piedade Araújo Sol disse...

Ana

o bom filho â casa torna.
temos de manter o equilibrio, entre partidas e chegadas.
sempre nos resta o amor partilhado dos nossos.
e dos outros que gostam de nós.
é a vida!
gostei muito.
Um bom fim-de-semana com paz e saúde.
O resto vem por acréscimo.
Beijinhos

:)

Fá menor disse...

Ciclos e círculos.
Também é urgente um tempo com mais harmonia e paz. De sobressaltos andamos fartos.
Que o Sul seja sereno, e que o norte sempre nos visite.
Beijinhos, amiga Ana.

Majo Dutra disse...

Um verão agradável, sereno e feliz, querida Amiga.
Antecipei as minhas férias nos 'blogs'...
Expliquei nos 'posts'... Tudo bom. Abraços grandes.
~~~

Olinda Melo disse...


"Estás perdoada", minha querida Ana. :)
Motivos inadiáveis te afastaram por algum
tempo.
Temos a festejar a chegada da tua neta.
E infelizmente a lamentar a partida dos teus próximos.

Imagino o desgaste nas tuas lides como Professora
nestes tempos de pandemia.

Beijinhos
Olinda