Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 15 de agosto de 2021

Quando desço...



Zurique, Agosto - 2021



Quando desço ao país dos lagos
encho o peito de sonhos,
de afagos,
do fulgor de um dia que finda.
E do halo que exala das florestas...
qual Ícaro que sobe vigoroso,
ainda,
sobre o glaciar dos ideais em flor,
subo 
ou desço 
nas arestas do Amor!

Ana

 

Suíça, Agosto - 2021

18 comentários:

chica disse...

Poema e fotos maravilhosos! ADOREI! Sensibilidade enorme! beijos, ótima semana,chica

Rogério G.V. Pereira disse...

Assim se desce
para melhor subir

(Não sou invejoso
mas sinto uma pequena inveja)

Graça Pires disse...

Bonito poema a uma bonita viagem.
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

Janita disse...

E assim descendo, sobe a Ana ao céu,
com o peito cheio de sonhos,
o olhar repleto de fulgor
desse brilho que só dá o Amor! :)

Fico feliz por si.

Beijinhos e tudo de bom.

J.P. Alexander disse...

Hermoso poema te hace soñar y querer volar. Te mando un beso

A.S. disse...

Ana,
Notável exercício poético!
Um belo poema. Te felicito!

Um abraço.

Fá menor disse...

Muito belo!
Um coração cheio escreve assim belezas.
Beijinhos.

© Piedade Araújo Sol disse...

Há viagens que nos levam ao mundo mágico do sonho.
Um poema muito belo.
Umas fotos fantásticas.
Boas Férias!
beijinhos
:)

São disse...

Nunca estive na Suiça...

Querida amiga que a tua estadia seja linda .


Do poema e das fotos , gostei muito.

Carinhoso abraço :)

Olinda Melo disse...


Querida Ana

Ambiente idílico, com a leveza da água
que lava os corações e propicia o Amor.

Belo poema. Adorei.

Beijinhos
Olinda

Jaime Portela disse...

Magnífico poema, com um aroma suíço de invejar...
Espero que as tuas férias e estadia estejam a ser muito boas.
Beijo, querida amiga Ana.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e outros textos literários. disse...

Aquela casa enxaimel
É linda e me fez lembrar
Blumenau, que é um lugar
Que tem réplica fiel
Dela, que tem o papel
A pura preservação
Do tipo de construção
Usual logo no início
Da colônia por propício
Com madeira em profusão.

Há duas cidades em Santa Catarina, Blumenau e Pomerode em que existem ainda muitas dessas construções enxaimel. Há algumas casa que foram construídas se o uso de um só prego substituído por tornos de madeira - em aberturas e tudo.

Parabéns pela excelente postagem. Abraço fraterno. Laerte.

Luma Rosa disse...

Oi, Ana!
Uau!! Foi genial!! :=))
Essas arestas são a melhor medida!
Tudo que se faz por amor, se paga com amor!
Beijus,

Ulisses de Carvalho disse...

que lindo, Ana! Ícaro é o nome do meu irmão. um beijo!

Teresa Almeida disse...

Lê-se com prazer. Cumpre-se a poesia.

Um beijo, Ana.

Manuel Veiga disse...

por vezes causa vertigeens...
beijp

. intemporal . disse...

é tão resplandecente um respiro quando o peito é um arco aberto!

um beijo, Ana.

chica disse...

Ana, vim avisar que acaba de entrar céu teu por lá! beijos, obrigadão! chica

https://ceuepalavras.blogspot.com/2021/09/blog-post_13.html